Thina Cunha – Desthinações

THINA CUNHA E A PERCEPÇÃO DO EXTRAORDINÁRIO

A principal característica da arte de Thina Cunha é a sua múltipla busca pelos diferentes meios de expressão que descobre, inventa e reinventa.

Mesclando materiais nobres com materiais descartáveis, ela transfere para suas obras e objetos toda a inquietação que lhe estimula, transformando o mundo ao seu redor e refletindo assim sua interação constante com o ambiente que a cerca.

As raízes retorcidas dos manguezais que surgem e mergulham nos rios se vêem transformadas em esculturas resinadas de diferentes cores.
Cores que refletem também a complexidade do mundo que nos envolve e nos leva a descobrir novos e desconhecidos caminhos.

Suas figuras surgem como esculturas que se erguem das águas do mangue para refletir a perplexidade do ser humano diante do progresso e da velocidade do cotidiano do século 21.
Uma artista contemporânea, que nos leva a refletir, repensar e rever as coisas comuns, percebendo nelas o extraordinário tão fugaz dos nossos dias.
Com sua arte, Thina Cunha nos ajuda a perceber o mundo.
E a arte que nele existe.

Beth Araruna

THINA CUNHA

Artista plástica contemporânea com uma ampla visão sobre o contexto sócio-político-cultural do seu tempo, Thina Cunha acredita que a experiência nutre as idéias e que assim são criados novos conceitos.

Nascida na cidade de Eire, na Pensilvânia, Estados Unidos, veio para o Recife ainda nos primeiros meses de vida, tornando esta a sua cidade.
Iniciou seus estudos em meados de 1970 na Escola de Belas Artes de Pernambuco, onde desenvolveu suas primeiras obras de pintura e desenho.
Em 1973 estudou com o pintor e desenhista Pierre Challita e em 1976 estudou “iniciação de escultura” na U.S.L em Lafayete, EUA, onde descobriu o que procurava na modelagem do barro.
Participou de várias exposições coletivas e individuais, sendo algumas delas temáticas e outras  de trabalho de pesquisas.
Sempre gostou de trabalhar em grupo com diferentes artistas, desenvolvendo oficinas  e estudos experimentais.